Winglya Aboim Lopes, de 25 anos.

‘O que era de competência da Polícia, já foi feito’, diz delegado no caso Winglya

Superintendente disse que a Polícia Civil já fez as investigações e que o caso virou um processo judicial.

Winglya Aboim Lopes, de 25 anos.

O desfecho esperado pela família de Winglya Aboin Lopes, de 25 anos, ainda parece estar longe. Isso porque o Delegado Vicente Ferreira Gomes, superintendente da Polícia Civil do Tapajós, disse que, o que era de competência da Polícia a ser feito em relação ao caso, já foi feito.

Por outro lado, segundo ele, a delegada da Delegacia especializada em Atendimento à Mulher, Gessyca Araruna, ainda está realizando algumas diligências e as informações estão sendo repassadas para a justiça.

“A Polícia Civil já fez as investigações, já virou um processo judicial e a gente tá seguindo nas investigações. Esperamos que futuramente tenha uma decisão. E, depois que passar somente para o lado da justiça, aí já não compete mais à Polícia, e sim ao Judiciário” destacou o Delegado Vicente.

Arlyson Souza, principal suspeito 

Winglya Lopes, vítima, e Arlyson Souza, suspeito.

O delegado também não descarta a possibilidade de envolvimento do ex-marido na morte de Winglya, contudo, segundo ele, a prisão de Arlyson Souza depende da justiça. Arlyson Ferreira de Souza, de 29 anos, principal suspeito de ter cometido o crime de homicídio e ocultação de cadáver contra sua ex-companheira, Winglya que desapareceu no dia 9 de Maio de 2019, tinha contra si um mandado de prisão temporária em aberto, solicitada pela Delegada da Polícia Civil de Itaituba, Dra. Géssica Araruna.

Após pesquisa realizada no site do Tribunal da Justiça do Pará-TJPA, se constatou a revogação da prisão temporária contra Arlyson e também a retirada do sigilo do processo judicial. A prisão foi revogada no dia 16/10/19, através de uma Decisão Interlocutória proferida pelo juiz de Direito, respondendo pela Vara Criminal de Itaituba Dr. Liberio Henrique de Vasconcelos.

“O meu posicionamento, eu sempre coloquei que não tenho dúvidas quanto à isso, mas o final da investigação que vai definir isso. Sempre que eu me manifestei para a imprensa, eu sempre coloquei o meu ponto de vista pessoal, como investigador, como delegado que já tenho experiência, que envolvimento ele tem; qual a circunstância do envolvimento é que tem que ser esclarecido no inquérito com detalhes” finalizou.

Desaparecimento de Winglya

Winglya e o ex marido, Arlyson Souza.

Winglya Aboim Lopes, de 25 anos, desapareceu misteriosamente no dia 9 de Maio deste ano. Após o desaparecimento da jovem ter sido comunicado na delegacia de polícia de Itaituba, familiares, amigos e policiais militares e civis começaram então  a realizar buscas pela jovem.

Arlyson, ex-marido, ainda chegou a falar sobre o desaparecimento da jovem, dizendo que ela teria saído de casa localizada no Campo Belo, em Itaituba, durante a noite do dia 09 de maio, por volta de 01h, com certa quantidade em dinheiro que teria pego de sua carteira, todavia, nunca deu um depoimento oficial sobre o caso. Ele chegou a ser comunicado através de seu advogado, porém não compareceu.

Ossada humana encontrada

Restos mortais de Winglya, encontrados na comunidade Vila Rayol.

Ninguém sabia do paradeiro da jovem, porém, dia 13 de Junho de 2019, uma ossada uma humana foi encontrada as margens da Rodovia Transamazônica BR-230, aproximadamente uns 30 metros dentro da mata, entre os km 85 e 90, nas proximidades da Comunidade Vila Raiol, entre os municípios de Itaituba e Jacareacanga, com algumas características, como roupa, cabelo e arcada dentaria que poderiam ser da jovem.

A ossada foi removida pelo Instituto Médico Legal (IML) e foi feito um DNA que confirmou, através do resultado divulgado no dia 11 de Julho, que ossada humana era realmente da jovem Winglya.

Fonte: Plantão 24 horas News/ Repórter Marinaldo Silva

Comentários

A seção de comentários deste site permite que as pessoas comentem o conteúdo usando as respectivas contas do Facebook. Para comentar, você precisa estar com uma seção ativa na rede social.