Mulher sentada em janela após jogar a filha de apartamento no Jaguaré, em SP - Reprodução/RecordTV

Mulher joga a própria filha do quinto andar de um prédio em São Paulo

Após jogar a criança de 3 anos, a mulher em seguida se atira do apartamento; caso aconteceu na madrugada desta sexta-feira (24).

Mulher sentada em janela após jogar a filha de apartamento no Jaguaré, em SP - Reprodução/RecordTV

Na madrugada desta sexta-feira (24), por volta de 01h, uma criança de 3 anos, foi jogada do quinto andar de um apartamento no Jaguaré, localizado na zona oeste de São Paulo. A suspeita inicial é de que a criança tenha sido jogada pela própria mãe, uma estudante de 29 anos. A Polícia Militar foi acionada por moradores do edifício a ir até o local.

Conforme informações da Polícia e do corpo de Bombeiros, a mulher, ainda não identificada, pegou a criança e a atirou da janela do prédio em que morava. Ao ser jogada, a criança chegou a bater sobre um veículo que estava entrando no estacionamento do condomínio, amortecendo assim o impacto, e logo em seguida, caiu no chão.

O condutor do veículo, de 44 anos, disse à Policia que só percebeu que a criança estava sobre o para-brisa quando saiu de seu carro. Ele acionou o serviço de resgate, e a criança foi levada com ferimentos leves para o Hospital das Clínicas.

O corpo de Bombeiros criou um grupo de negociação para socorrer a mãe, que estava trancada no interior do apartamento. A tentativa de negociação durou cerca de 2h. Em visível quadro de surto, a moradora ateou fogo nas cortinas da janela. Para conter o incêndio e resgatar a mulher, os bombeiros arrombaram a porta do apartamento.

Ao perceber a presença dos bombeiros, a mulher se atirou pela janela do quinto andar de seu apartamento. Ela foi resgatada inconsciente e encaminhada também para o pronto-socorro do Hospital das clínicas. O estado de saúde dela é grave.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, a mulher foi indiciada sob a suspeita de ter cometido os crimes de tentativa de homicídio e incêndio.

A Polícia Civil já realizou perícia no local e o caso foi registrado no 91º Delegacia de Polícia (Vila Leopoldina).

Fonte: Folha Press e Folha de São Paulo

Comentários

A seção de comentários deste site permite que as pessoas comentem o conteúdo usando as respectivas contas do Facebook. Para comentar, você precisa estar com uma seção ativa na rede social.