Morre homem baleado em Itaituba após agressão à policial Militar

Homem foi atingido por dois tiros, estava internado em estado grave e seria encaminhado para Santarém.

Um homem, identificado como Evanilson de Jesus, de 35 anos, foi baleado com dois tiros, no braço e no abdômen, após supostamente agredir um policial Militar que foi acionado após denúncias de violência doméstica, onde o mesmo estaria ameaçando a própria mãe. Segundo a família, Evanilson tem problemas mentais.

Após o baleamento, o homem foi socorrido e encaminhada para o Hospital Municipal de Itaituba (HMI), onde passou por cirurgia e ficou internado em estado grave. A perfuração do abdômen atingiu órgãos vitais e mesmo assim Evanilson resistiu à cirurgia e seria encaminhado para Santarém.

Na manhã deste domingo, por volta das 9h, o hospital confirmou a morte de Evanilson. A família informou que, após a cirurgia, o mesmo ficou consciente e até se comunicava, mas piorou no decorrer da madrugada.

O baleamento / a agressão

Para agredir o PM, o homem teria utilizado uma barra de ferro maciço de aproximadamente 2 metros de comprimento, meia polegada de espessura, com uma corrente na ponta. Antes da agressão, o homem também quebrou o vidro traseiro de um carro.

Carro com vidro quebrado pelo homem.

Segundo policiais Militares que estavam na operação, o homem acertou a barra de ferro pelo menos três vezes no policial, o que fez a barra entortar. “fomos recebidos com agressões, o PM agiu em legítima defesa, se defendendo de injusta agressão. Não tinha o que fazer.” Disse um policial

Barra de ferro utilizada pelo homem para agredir o policial.

A mãe da vítima, que presenciou tudo, afirma que “os policiais chegaram atirando, eu vi tudo, ainda gritei pra não atirarem no meu filho, eles não ouviram.”

A mãe disse ainda que o filho já vinha bastante alterado, devido problemas mentais que adquiriu há aproximadamente um ano. “Ele tava no quintal e eu tentando impedir que ele saísse de casa, mas ele conseguiu sair e foi pra rua.” Disse

Evanilson, para a família, apesar dos problemas mentais, é um homem trabalhador, que faz bicos como limpeza de terrenos, corte de árvores etc.

Sobre o fato da vítima ser doente mental, os policiais afirmam que não sabiam. “Fomos acionados para um caso de violência doméstica, a pessoa que ligou para a PM não informou que se tratava de um doente mental.” Afirma um policial

Fonte: Portal Giro

Comentários

A seção de comentários deste site permite que as pessoas comentem o conteúdo usando as respectivas contas do Facebook. Para comentar, você precisa estar com uma seção ativa na rede social.