Corpo do jovem foi enterrado no garimpo Crepurizão com caixão doado por populares.

Jovem deficiente morre com suspeita de envenenamento em garimpo de Itaituba

O jovem faleceu no sábado (14) e foi enterrado em Crepurizão; morte é rodeada de mistérios.

Corpo do jovem foi enterrado no garimpo Crepurizão com caixão doado por populares.

No último sábado (14), por volta das 14h, um jovem identificado como Alexandre Silva, de 18 anos, morreu com suspeitas de envenenamento em um garimpo próximo ao Crepurizão, região de Itaituba. Segundo informações, Alexandre era deficiente físico e mental.

De acordo com um membro da família, o pai do jovem teria ligado, no sábado (14), afirmando que a causa da morte seria afogamento, mas outras pessoas informaram que o mesmo teria sido envenenado. Desde então, o pai teria se recusado a encaminhar o corpo do filho para o Instituto Médico Legal (IML), em Itaituba.

Alexandre Silva quando criança.

“Ele foi enterrado no garimpo mesmo, dentro de uma rede. O pai não quis trazer para a cidade para o corpo passar pelo IML. Ele e a madrasta não suportavam o menino”. disse um familiar do rapaz

“Antes disso acontecer algumas pessoas ligaram de lá falando que ele estava sofrendo por maus tratos. Teve pessoas que falaram pra gente que o menino estava cheio de bicho nas mãos e pés quando ainda vivo, nem andava mais de tanto maus tratos”, acrescentou.

O corpo de Alexandre foi enterrado, no domingo (15) por moradores de Crepurizão e sem a presença do pai, que não entrou mais em contato com a família em Itaituba. “Ele foi enterrado num caixão doado por pessoas que se comoveram e foi velado no chão até de manhã. Quando amanheceu o dia, o pessoal levou para uma pedra em um lugar lá no Crepurizão”, finalizou o parente do jovem.

Ainda segundo familiares, o jovem sofreu paralisia na infância e ficou dependente de remédios controlados. Ele estava morando na região garimpeira com o pai há mais de um ano. Em Itaituba, Alexandre morou com a família no bairro Bela Vista e estudou no colégio Fernando Guilhon e na APAE.

Velório foi feito com o corpo dentro de uma rede.

Outra informação confirmada pelo Giro foi de que não houve registro de boletim de ocorrência na 19ª seccional de Itaituba para informar o caso. A família também está com viagem marcada para o garimpo onde irá apurar mais detalhes sobre o ocorrido.

Fonte: Portal Giro

Comentários

A seção de comentários deste site permite que as pessoas comentem o conteúdo usando as respectivas contas do Facebook. Para comentar, você precisa estar com uma seção ativa na rede social.