Monumento aos Garimpeiros, na Orla da cidade.

Itaituba homenageia Garimpeiros com Monumento na orla da cidade

Monumento foi uma ideia do diretor de esporte, cultura e lazer, Francimar Uchôa (Miúdo).

Monumento aos Garimpeiros, na Orla da cidade.

Itaituba, no auge da produção mineral chegou a registrar mais de cem pousos e decolagens por dia, de aeronaves de baixo porte, no aeroporto Municipal. Por essa razão, a cidade ficou conhecida por a Cidade Pepita do Tapajós e precisava homenagear àqueles que tanto fizeram e fazem pelo crescimento local.

O monumento colocado na Orla de Itaituba, em homenagem a classe dos garimpeiros, foi uma ideia do diretor de esporte, cultura e lazer, Francimar Uchôa de Oliveira.

Diretor de esporte, cultura e lazer; Francimar Uchôa de Oliveira

O diretor levou o projeto para apreciação do Prefeito Valmir Climaco e, autorizado, Francimar Uchoa (Miúdo) foi até Santarém, ao encontro do Artista Plástico Apolinário, para apresentar o projeto.

Além deste, havia mais dois projeto: um Letreiro (EU AMO ITAITUBA) e um avião, que seria instalado na entrada do Aeroporto Municipal.

O artesão santareno aceitou o desafio e veio ao Município de Itaituba executar as obras e, com a ajuda do construtor itaitubense Gilmar Araújo, tornaram realidade o belo projeto.

O objetivo do projeto é valorizar a cultura e a história de Itaituba; homenageando pessoas que fizeram e fazem história no município e região.

Hoje 60% da economia do município vem da extração Ourifera (OURO) da nossa região.

Miúdo ressalta que empresários, vereadores , secretários, Diretores e o Prefeito Valmir Climaco foram fundamentais para a execução dos projetos e aproveita o ensejo para agradecer a todos.

Letreiro na Orla da cidade.

O diretor convida a todos para visitarem os Monumentos e postarem fotos com a #itaitubacidadepepita.

História

Há relatos sobre a Província Aurífera do Tapajós, que remontam a 1747, na década do Brasil Colonial. A produção aurífera iniciou em meados do século XX com os garimpeiros e chegou ao seu ápice nas décadas de 1970 e 1980, quando atingiu uma produção anual estimada de 15 a 30 toneladas pelas mãos de mais de 500.000 (quinhentos mil) garimpeiros.

Nos dias de hoje, depois da queda da produção mineral, ainda existem cerca de 2.000(dois mil) a 5.000(cinco mil) garimpeiros, que produzem cerca de 5.000 (cinco mil) toneladas de ouro/ano.

Fonte: Portal Giro

Comentários

A seção de comentários deste site permite que as pessoas comentem o conteúdo usando as respectivas contas do Facebook. Para comentar, você precisa estar com uma seção ativa na rede social.