Elielson Vieira de Sousa, morto na rebelião do presídio de Altamira.

Imprensa local confirma morte de Elielson Vieira em rebelião do presídio de Altamira

Homem estava preso há oito meses após matar namorada e filho em Vitória do Xingú, no Pará; Relembre o caso.

Elielson Vieira de Sousa, morto na rebelião do presídio de Altamira.

A imprensa de Altamira confirmou, na manhã desta terça-feira (18), a morte de Elielson Vieira de Sousa, que estava preso desde o mês de janeiro deste ano após matar e enterrar o próprio filho, um bebê recém nascido, e a esposa Evanilza Gabriely Silva de Freitas, de 20 anos.

Gabriely e o filho Enzo.

A estudante desapareceu no dia 10 de janeiro e foi encontrada por pescadores no dia 13, enterrada em uma cova rasa nos fundos da casa em que morava. Neste período o corpo do bebê ainda estava desaparecido.

Elielson foi preso no dia 21 de Janeiro, ele foi encontrado no quintal de uma casa onde foi visto por um vizinho que avisou a polícia. Ele ainda tentou fugir e depois partiu para cima de um investigador, que efetuou vários disparos que atingiram as duas penas do acusado.

Elielson resistiu a prisão e foi baleado.

Após sua prisão, Elielson confessou a autoria dos assassinatos e disse onde a polícia poderia encontrar o corpo da criança. Buscas foram feitas e, após várias tentativas, o corpo de Enzo foi encontrado, dentro de duas sacolas plásticas e envolto em um lençol. Ao lado do corpo, foi encontrada uma mochila com os pertences de Gabriely e do bebê, como roupas e documentos.

O corpo da criança estava a poucos metros de onde Elielson tinha escondido o cadáver de Gabriely: perto de sua própria casa, na localidade de Jacuípe.

Segundo o assassino, ele e Gabrielly iriam fugir juntos no dia 10, mas o bebê começou a chorar e, com “medo” da família dele ouvir, uma discussão começou. A criança então caiu do colo da mãe e morreu ao se chocar com o chão. Gabrielly então se desesperou e gritou por socorro. Para silenciar a jovem, Elielson tampou sua boca com as mãos, obstruindo as vias respiratórias. Ela teria morrido desse modo, asfixiada.

Fonte: Portal Giro (com informações do blog Xingú 230)

Comentários

A seção de comentários deste site permite que as pessoas comentem o conteúdo usando as respectivas contas do Facebook. Para comentar, você precisa estar com uma seção ativa na rede social.