Diana Portela, acusada de cometer o crime, e Lourenço, irmão da vítima.

Identificada mulher acusada de assassinar o cunhado em Itaituba

Segundo informações atualizadas, o irmão da vítima não fugiu com a namorada, mas, segundo familiares, teria acobertado a fuga da acusada.

Diana Portela, acusada de cometer o crime, e Lourenço, irmão da vítima.

A mulher acusada de assassinar à tiros Eliésio Parintins Pimentel, de 24 anos, também conhecido como Eli Pimentel, homossexual assumido, foi identificada como Diana Portela, conhecida como Dida. Conforme informado existia, há muito tempo, uma intriga entre ambos, algo que foi apontado como a motivação para o crime.

Eliésio Parintins Pimentel, vítima.

Em entrevista ao Giro, Carlos, pai de criação de Eliésio, destacou que há alguns anos o mesmo teria espancado o filho de Diana, por isso, iniciou a intriga entre os dois. O irmão de criação da vítima, Lourenço, confirmou a informação e disse que Eliésio “nunca parou de ficar implicando”, assim “viviam brigados” e na madrugada em que aconteceu o crime os dois teriam discutido.

“Estávamos em casa aí iniciou uma discussão entre eles, mas ele que começou a briga, aí acabou nisso. Ele ficava falando várias coisas e pegou uma faca dizendo que ia matar ela, depois ela apareceu com uma arma, nem sabia que ela tinha essa arma”, relatou Lourenço.

Eli Pimentel, vítima de assassinato; Diana Portela, acusada de cometer o crime; e Lourenço, irmão da vítima.

Lourenço destacou ainda que tinha o relacionamento há cinco meses com Diana e, após a mulher cometer o crime, a mesma fugiu do local sozinha. Neste momento, Lourenço teria ficado e dado apoio para o irmão, posteriormente, quando o mesmo já havia falecido, encaminhou-se para a colônia em que Carlos (o pai) residia, para comunicar o ocorrido e trazê-lo até a cidade.

“Eu dei apoio até a hora que ele faleceu, ela já tinha sumido, me agoniei, fiquei em desespero, aí fui para a colônia atrás do pai”, disse.

Alguns familiares ainda chegaram a acusa Lourenço de acobertar a fuga da namorada, afirmando que o mesmo teria levado Diana para uma localidade antes de buscar o pai na colônia. Ele nega.

O crime aconteceu na madrugada desta terça-feira (31), por volta das 2h, na residência onde morava, localizada na 33ª rua do bairro Santo Antônio.

Local do crime.

Fonte: Portal Giro

Comentários

A seção de comentários deste site permite que as pessoas comentem o conteúdo usando as respectivas contas do Facebook. Para comentar, você precisa estar com uma seção ativa na rede social.