Como um itaitubense realizou o sonho de entrar na Polícia Rodoviária Federal

Ele viveu sua vida inteira em Itaituba, foi pedreiro, vendedor e professor, até realizar o sonho de se tornar Policial Rodoviário Federal após passar em um dos concursos mais concorridos do Brasil.

Postado em: 17 de outubro de 2018, às 14:46hs

Ubirajara Francisco do Nascimento, 35 anos, Policial Rodoviário Federal.

Ele nasceu em Curitiba-PR, mas morou desde o seu primeiro ano de vida em Itaituba, cidade onde foi criado, estudou o ensino fundamental na escola Antônio Gonzaga Barros, ensino médio no Benedito Corrêa de Sousa e se formou em Matemática pela UFPA, que funcionava na escola Castelo Branco. Ela já foi pedreiro, vendedor na antiga Esplanada e professor.

Ubirajara Francisco do Nascimento tem hoje 35 anos, dois deles exercendo uma das profissões mais desejadas, principalmente entre os jovens, ele faz parte da polícia rodoviária federal (PRF), passou em um dos concursos mais difíceis e disputados do país.

Atualmente Bira, como é conhecido pelos amigos, mora na cidade de Cascavel-PR e trabalha na segunda delegacia da PRF em Pato Branco-PR.

Em 2013 Bira passou em terceiro lugar no concurso da polícia civil, mas seu grande sonho era passar na PRF, concurso que aconteceria naquele mesmo ano. Ele estudou bastante e fez a prova da PRF, porém, sua posição no resultado final não lhe deu a vaga de imediato, ficando entre os reservas. Mais de 120 mil pessoas fizeram a prova, disputando 1000 vagas e 900 reservas, ele ficou na posição 1.186.

Bira ficou na espera até o ano 2016, quando finalmente foi chamado. Ao final de seu curso de formação ficou entre os 10 melhores colocados dos 900 selecionados.

O que fez Bira alcançar o seu objetivo?

Bira está na PRF há dois anos e meio.

Sem cursinho preparatório, Bira só utilizava livros comprados pela internet, vídeo aulas e resolvia exercícios online.

“Quando saiu o concurso em 2013 eu já estava estudando, neste período eu trabalhava de manhã, tarde e noite, usava meus momentos de folga para estudar mais ainda. Eu deixei de sair nos fins de semana ou fazer qualquer outra coisa, pra focar ainda mais nos estudos, não fazia nada além disso.

Nesse tempo em Itaituba não tinha cursinhos preparatórios específicos, por isso estudei sozinho juntamente com minha irmã, eu ia pra casa dela de manhã cedo e só saía a noite (nos fins de semana), chegava em casa e continua estudando até de madrugada. Foram muitos meses fazendo isso, eu sabia que iria competir com pessoas dos grandes centros, pessoas que faziam cursinhos e muitas delas se dedicavam apenas a isso, era uma concorrência meio que “desleal”, mas eu tinha que estar preparado da mesma forma.

Comprei vários livro, fazia anotações, colocava lembretes na porta da geladeira, do banheiro etc. Eu também tinha, no celular, um áudio sobre direitos constitucionais, então escutava ele a todo momento, principalmente quando ia ao banco, padaria ou qualquer outro lugar com fila de espera. Muitos até diziam que eu ficaria louco de tanto estudar, mas era o meu sonho, e eu sabia que somente assim conseguiria realiza-lo.” Disse o PRF

Em meio aos estudos, Bira não deixava de se dedicar a saúde e a parte física, afinal, após o concurso, caso fosse aprovado, ele tinha que ter estrutura para passar em todos os testes, para somente assim ser efetivado. Em 2016, aos 33 anos, ele finalmente realizou seu sonho, era definitivamente um Policial Rodoviário Federal.

Fonte: Portal Giro

Reagir
Curtir Amei Haha Uau Triste Grr
83162

Compartilhe

Comentários

A seção de comentários deste site permite que as pessoas comentem o conteúdo usando as respectivas contas do Facebook. Para comentar, você precisa estar com uma seção ativa na rede social.