João Carlos Fonseca (João Preto), Acusado de homicídio

Autor de homicídio em garimpo de Itaituba se entrega à polícia

Crime aconteceu há duas semanas no garimpo Massaranduba onde a vítima foi morta à golpes de facão; Acusado foi liberado após apresentação.

João Carlos Fonseca (João Preto), Acusado de homicídio

No último dia 27 de julho, no Garimpo de Massaranduba, região de Itaituba, Alexandre Jesus Martins (Tubaína) foi assassinado à golpes de facão. O autor do crime, João Carlos Fonseca (João Preto), fugiu do local e a vítima foi encaminhada para Santarém, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no percurso.

Homem foi socorrido com vida e morreu à caminho de Santarém.

Devido se apresentar fora do flagrante, o acusado foi ouvido pelo delegado de plantão e liberado para responder pelo crime em liberdade. Ele alegou legítima defesa. O fato gerou revolta dos familiares da vítima.

O Giro teve acesso à depoimentos de como ocorreu o crime, uma do próprio autor e outra de uma testemunha ocular, que afirma ter presenciado o crime.

O acusado disse à policiais Militares que se entregou após ter ficado escondido na mata desde que cometeu o crime, alegando que ficou com medo de represálias por parte da família da vítima.

Em sua versão, João afirmou que, pouco antes do crime, estava em seu barraco quando foi indagado por Alexandre, vítima, sobre a posse da terra na qual trabalhava, solicitando sua retirada do local.

“Ele disse que diante de sua negativa sobre sair das terras, a vítima puxou a arma para atirar e ele segurou no cano do armamento e foi atingido por um tiro na mão. João se armou de facão e entrou em luta corporal com a vítima e foi atingido por mais um tiro na perna. Ele também disse que vítima ainda chegou a disparar uma terceira vez, mas não conseguiu atingi-lo, momento em que desferiu vários golpes em Alexandre.”, disse um policial em depoimento sobre a versão do acusado.

Em outro depoimento dado neste domingo (11) uma testemunha ocular, que trabalhava para a vítima, disse que Alexandre foi conversar com João, porque o mesmo estaria colocando máquinas em terras que pertenciam a ele, por isso, iniciaram uma discussão.

“Quando Alexandre disse que iria procurar seus direitos e tentou sair do local o João puxou o facão e não permitiu que ele saísse, momento em que também desferiu um golpe de faca na barriga dele que fez ele cair. O João continuou a golpeá-lo em várias partes do corpo,  enquanto isso Alexandre disparou dois tiros, de uma arma de fogo que estava em sua posse, mas não conseguiu conter a agressão, ele foi golpeado até ficar desacordado, depois João fugiu do local e eu pude prestar socorro”, disse o funcionário.

Fonte: Portal Giro

Comentários

A seção de comentários deste site permite que as pessoas comentem o conteúdo usando as respectivas contas do Facebook. Para comentar, você precisa estar com uma seção ativa na rede social.